Em jogo disputado, meninos de Marília vencem Pereira Barreiro

Em jogo disputado, meninos de Marília vencem Pereira Barreiro

Equipe mariliense ganhou de 3 a 0 do time barreirense com uma ótima atuação do atacante Yuri, autor de dois gols.

Na manhã desta quarta-feira, 19, Marília recebeu o Pereira Barreiro em parida válida pelo 36º Jogos Abertos do Interior e não decepcionou a torcida que apareceu no estádio da Unimar. Com um ataque eficiente, time mariliense fez 3 a 0 e está próximo das semifinais.

O primeiro tempo foi disputado, com poucas chances de gol. Os meninos marilienses começaram com posse de bola e a girando pelo campo de defesa, porém eles não conseguiam infiltrar na forte defesa barreirense, que estava bem postada no 4-4-2.

Aos 28 minutos, o atacante mariliense Yuri Lima, brilhou. Recebeu a bola na ponta-esquerda do campo, cortou para dentro e chutou para fazer um golaço e abrir o placar no campo da Unimar.

Na volta do intervalo, o jogo continuou disputado. Os dois times buscavam o gol, mas sem grandes chances de gol. Até que em um contra-ataque mariliense, o atacante 9, Lucão, recebeu belo lançamento no ataque e toca na grande área para o lateral-direito Vinícius chegar antes da zaga adversária e tocar na saída do goleiro, 2 a 0.

Com a desvantagem no placar, Pereiro Barreiro se jogou no ataque, e o time mariliense tentou aproveitar os contra-ataque. Então, os meninos barreirenses cresceram no jogo e tiveram dois chutes a gol, uma em falta que tirou tinta do travessão e em outro chute defendido pelo goleiro mariliense.

Já na final da partida, após Yuri inverter o jogo para a direita, Lução toca na área que o atacante finaliza de novo para dentro das redes. Placar de 3 a 0, que para Yuri é fundamental para a motivação da equipe na competição. “Trabalhamos quatros meses para essa competição, é muito bacana ajudar a equipe e lutar pela classificação. “

Já o treinador de Marília, Leandro Caetano, foi válido a dedicação dos meninos, “a nossa equipe se entregou, soube se defender após fazer o primeiro gol. “ Ambas equipes ainda fazem mais uma partida pela segunda fase. Mas Yuri, já pensa mais longe. “Queremos trazer o título para Marília, título inédito, seria importante para a cidade.”

Com dois gols no final da partida, meninos do Guarujá viram sobre Botucatu

Com a vitória por 2 a 1, equipe praiana está próxima das semifinais, já os meninos botucatuenses se complicam no grupo E.

 

Na manhã desta segunda-feira, 19, Botucatu e Guarúja fizeram o segundo jogo da segunda fase de grupos, em que há dois grupos com 4 equipes em cada, e avançam os dois melhores. O time do litoral ganhou a segunda partida seguida e está em primeiro do grupo E. A partida foi válida pela 36º Jogos Abertos do Interior, sediado em Marília até o próximo dia 22.

E a partida, no primeiro tempo, foi sem grandes emoções. Botucatu conseguia chegar mais perto do gol com jogadas pela lateral esquerda, em que funcionou tabelinhas entre o meio-campista e o atacante.

Porém, foi na segunda etapa que o jogo ficou melhor e os gols apareceram. Primeiro, os meninos botucatuenses abriram o placar após a bola sobrar na área o atacante empurrar para o fundo das redes. E Guarujá foi com tudo para buscar o empate.

Mas esbarrou em uma bela atuação do goleiro botucatuense, que fez 3 defesas difíceis. Aos 22 minutos, em rebote, o atacante da equipe praiana faz o seu e iguala o placar. Já faltando três minutos para o apito final, o meio-campista João Garcia, 17, driblou um na entrada da área e bateu colocado para toda equipe vibrar.

Saímos atrás do placar e isso dificulta, acaba perdendo a cabeça no jogo, e isso não ocorreu. “, afirma João. Já o técnico de Guarujá, Jorge Castilho, disse que pediu para o meio-campista finalizar mais na segunda etapa. “Todas as bolas ele estava distribuindo o jogo, dando assistência. Pedi para ele finalizar uma única vez, que foi a do gol. “

Ainda de acordo com o treinador, a equipe mereceu a vitória. “Fizemos um primeiro tempo bom, mas no segundo entramos com tudo. 30 minutos (tempo regulamentar da competição) é muito pouco para virar um jogo, mas conseguimos. “